O que é um cheque?

O que é um cheque?

Regulamentado pela LEI No 7.357, DE 2 DE SETEMBRO DE 1985, o cheque é uma ordem de pagamento à vista e um título de crédito que o banco fornece ao seu cliente. Fisicamente é uma folha de papel em que o cliente escreve o valor a ser pago e assina, entregando a outra pessoa que deve trocar o cheque por dinheiro.

No cheque há três pessoas envolvidas:

  • o emitente (emissor ou sacador) – que é aquele que emite o cheque, o cliente do banco que o assina
  • o beneficiário, que é a pessoa a favor de quem o cheque é emitido (a empresa ou pessoa que recebe)
  • o sacado – o banco onde está depositado o dinheiro do emitente.

cheque

Tipos de emissão de cheque

– nominal (ou nominativo) à ordem – deve ser apresentado ao banco apenas pela pessoa que está com o nome no cheque e com a devida assinatura
– nominal não à ordem: não pode ser transferido pelo beneficiário
– ao portador: não coloca o nome de quem recebeu e qualquer um pode levar. Cheques nominais devem ter valor até R$ 100

Inclusão no CCF

Emitir acima de dois cheques sem fundo pode gerar a inclusão de Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF). O nome será retirado se for feito o pagamento do cheque.

Banco é obrigado a entregar um cheque a um cliente?

Não. O cheque pode ou não ser fornecido para um cliente e é proibido entregar talão de cheque a um cliente que esteja no CCF.

Mais informações em: http://www.bcb.gov.br/?CHEQUESFAQ

 

O que é uma conta poupança?

O que é uma poupança?

Poupança é uma conta bancária criada para estimular o público a guardar dinheiro. O primeiro banco a criar uma conta poupança no Brasil foi a CEF, antes mesmo de existir um banco. Ela permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Documentos necessários para abrir uma poupança

Para pessoa física: 

– documento de identificação (carteira de identidade ou equivalente, como, por exemplo, a carteira nacional de habilitação nos moldes previstos na Lei 9.503, de 1997);

– inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF);

comprovante de residência.

Para pessoa jurídica:

documento de constituição da empresa (contrato social e registro na junta comercial);

documentos que qualifiquem e autorizem os representantes, mandatários ou prepostos a movimentar a conta;

inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ).

 

Rendimento da poupança atualmente

– Rendimento mensal para pessoa física

0,5% a.m. quando a taxa Selic for maior a 8,5%

70% da taxa Selic se a taxa Selic for menor ou igual a 8,5%

– Rendimento trimestral para pessoa jurídica

Os rendimentos da poupança acontece apenas se o dinheiro ficar na poupança por 30 dias, ao que se chama data de aniversário. Se for efetuado um saque antes, não haverá rendimentos, apenas do que ficou em 30 dias.

Exemplo: você depositou R$ 100 em sua poupança e removeu R$ 20 faltando 10 dias para completar um mês. Você receberá rendimento de apenas R$ 80, e não dos R$ 100 iniciais. Cada depósito tem a sua data de aniversário.

 

Pessoa física é isenta de Imposto de Renda na poupança

Mais informações em: http://www.bcb.gov.br/?CONTASFAQ

O que são ações?

Ações são a parte do capital social de uma empresa. É um titulo escritural (não existe em papel), de renda variável.

Ações são negociáveis no mercado primeiro quando for a primeira venda ou bolsa de valores e mercado de balcão para títulos que já possuam um dono, para revenda.

As empresas que podem vender ações são apenas as S.A. abertas. Mas se o dono da empresa tem uma S.A. fechada, não tem problema, ele pode abrir as ações da empresa. Sua primeira venda, contudo, devem

Mercado Secundário de Ações

O que é o mercado secundário? – Local onde são vendidas ações ‘não novas’, que já tiveram um primeiro dono. No Brasil o único mercado secundário de ações que temos é a Bolsa de Valores.

Para a primeira venda, as ações vão para o mercado primário sempre, quando a empresa tem suas ações que nunca tiveram um dono.

O que é o Banco Central do Brasil – Bacen?

O Banco Central do Brasil, conhecido e citado pelas provas como Bacen, foi criado pela Lei 4.595, de 31 de dezembro de 1964. É o responsável por executar as ordens do Conselho Monetário Nacional (CMN) e responsável por garantir o poder de compra da moeda nacional. É uma autarquia federal, com diretoria colegiada.

Diretores: 4 integrantes (1 presidente e 3 diretores)

Os objetivos do Bacen são, o que fazem da sua existência necessária:

  • zelar pela adequada liquidez da economia
  • manter as reservas internacionais em nível adequado
  • estimular a formação de poupança
  • zelar pela estabilidade e promover o permanente aperfeiçoamento do sistema financeiro.

Suas funções são:

– autorizar a emissão de papel-moeda e moeda metálica;

– executar os serviços do meio circulante

– receber recolhimentos compulsórios e voluntários das instituições financeiras e bancárias

– realizar operações de redesconto e empréstimo às instituições financeiras

– regular a execução dos serviços de compensação de cheques e outros papéis

– efetuar operações de compra e venda de títulos públicos federais;

– exercer o controle de crédito;

– exercer a fiscalização das instituições financeiras;

– autorizar o funcionamento das instituições financeiras;

– estabelecer as condições para o exercício de quaisquer cargos de direção nas instituições financeiras;

– vigiar a interferência de outras empresas nos mercados financeiros e de capitais e

– controlar o fluxo de capitais estrangeiros no país.

A sede fica em Brasília, mas o Bacen possui representações em  Estados do Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Ceará e Pará.

Regras do Cartão de Crédito segundo o Bacen

O Banco Central é o responsável por autorizar uma instituição financeira a emitir cartão de crédito (4º e 10 da Lei 4.595, de 1964, e da Lei 12.865, de 2013). Ele não autoriza o seu cartão de crédito em especial, a isso cabe ao banco ou demais instituições em verificar se querem te dar crédito ou não. Quanto a isso, o banco é livre e libera ou não o cartão.

Regras do cartão de crédito

– pagamento mínimo de 15% do total da fatura – pode pagar um valor inferior ao valor total da fatura

– Os bancos podem cobrar basicamente cinco tarifas, os chamados serviços essenciais: anuidade, emissão de segunda via do cartão, tarifa de saque em espécie(em dinheiro), pagamento de contas (por exemplo, boleto de conta de luz) e pedido de avaliação emergencial do limite de crédito. Ele pode cobrar tarifas extras de outros serviços, essas são as essenciais.

– o extrato deve ser bem descritivo com todos os dados, como final do cartão, valor gasto com data e local, quitação da fatura anterior, todos os juros devidos.

– pode cancelar a qualquer momento, mas isso não elimina a dívida.

– não é permitido o envio de cartão de crédito sem prévia solicitação do cliente – vide CDC

Cartão de crédito básico

– de oferecimento obrigatório pelas instituições emissoras de cartão de crédito. O valor da anuidade do cartão básico deve ser menor do que o valor da anuidade do cartão diferenciado. Isso não quer dizer que ele tenha que ter anuidade de R$ 9,90, por exemplo. Se o banco tem anuidades de R$ 100, R$ 200 ou R$ 300, o básico seria o de R$ 100, a mais baixa. 

– não pode ter plano de milhas ou qualquer promoção vinculada de relacionamento com o cliente

Quem quiser ler mais sobre o assunto, segue link da cartilha do Banco Central

http://www.bcb.gov.br/pec/appron/apres/cartilha.pdf